sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Prefeito de MT não participa de cerimônia de retorno ao cargo


Em uma cerimônia que o advogado Gilmar D" Moura classificou como um "ato de inovação retirado de uma obra de ficção teratológica (contrária a lei), o prefeito de Dom Aquino Eduardo Zeferino (PR) foi reconduzido ao cargo, que até então estava nas mãos do prefeito em exercício Donizete Araújo (PT), seu vice e atual desafeto político. O inusitado, é que nenhum dos dois compareceram ao ato ocorrido na prefeitura, às 13h, desta sexta-feira (16).
A promotora de Justiça Gileade Pereira Souza Maria decidiu nomear uma advogada de Rondonópolis para intervir na cerimônia e conduzir a transferência simbólica do cargo, que para o advogado Moura significou a "criação do código de processo de Dom Aquino". A ironia do defensor de Zeferino que foi afastado do cargo em junho por decisão de uma comissão de vereadores, sob acusação de pedofilia contra 5 meninas com idades entre 5 e 11 anos entre 2005 e 2008, é porque segundo ele, não precisava de cerimônia de posse após uma decisão de uma comissão.
"A lei determina apenas que o resultado, seja condenação ou absolvição seja comunicada ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE). A partir do momento que a Câmara arquiva o processo, o prefeito retoma automaticamente as funções. Não precisa de comunicação nenhuma", garante ao rebater que os boatos que circularam na mídia de que Eduardo Zeferino teria tentando invadir a prefeitura na quinta-feira após escapar da cassação pelo Legislativo, foi "conversa fiada" da oposição que teria inventado todas as acusações de pedofilia em uma armação política contra o republicano.
Mesmo não comparecendo ao ato, Zeferino que foi absolvido por 5 votos a 4 na noite de quarta-feira (14) e assim teve o processo de cassação e afastamento arquivado, se dirigiu diretamente à prefeitura e assumiu o gabinete de prefeito. Apesar da decisão dos parlamentares, ele continua respondendo à denúncia na Justiça em um processo que corre sob sigilo judicial.

Fonte: Só Noticias

Deputados repudiam retorno de Zeferino ao cargo


O deputado estadual Walter Rabello (PP) apresentou em Sessão Plenária dessa terça-feira (20) uma moção de repúdio aos vereadores de Dom Aquino (166 km ao Sul de Cuiabá), que votaram contra a cassação definitiva do prefeito Eduardo Zeferino (PR), acusado pelo Ministério Público Estadual (MPE) de abusar sexualmente de cinco crianças que residem no município.
O progressista disse que os vereadores Dionei Pereira Bueno, o Cafú (PR), Edinézio Brandão de Amorim, o Marrom (DEM), Luiz Scofoni Faleiros (PPS), presidente da Câmara, Osvaldir Martins (DEM) e Lúcia Borges, a Sebastiana a mais criticada, por pertencer ao mesmo partido do deputado. "É uma coisa de se enojar, as crianças foram testemunhar. Os outros vereadores indignados me pediram para vir aqui e repudiar estes vereadores que votaram a favor do acusado de pedofilia no cargo. O que me envergonha é saber que uma mulher votou na permanência de Zeferino, e sendo do meu partido. Vou interferir com o PP estadual", disse Rabello.
O presidente da Assembleia Legislativa, José Riva (PP), também criticou os cincos vereadores que "protegeram" Zeferino. Na opinião do parlamentar, Zeferino deve ficar afastado do cargo até que as investigações contra o prefeito sejam concluídas. "Uma acusação dessas é coisa de se duvidar, mas foram cinco crianças que supostamente foram abusadas pelo prefeito. É lamentável, um homem público, quando comete ou é suspeito até que se prove o contrario deve ficar afastado das funções públicas", criticou. O deputado pediu ainda interferência do Ministério Público Estadual para que impeça o prefeito de exercer a função.
A cidade possui nove parlamentares municipais. Para que houvesse a cassação seriam necessários seis votos. Os vereadores alegam que, como a Justiça ainda não julgou Zeferino, a Câmara também não deve julgar. O presidente alega que há perseguições pessoais entre alguns vereadores contra Zeferino.
Zeferino retornou ao cargo no último dia 16. De acordo com as informações ao retornar à prefeitura, ele [Zeferino] teria expulsado o vice Donizete Alves (PT). O acusado de pedofilia, negou a veracidade dos fatos em entrevista ao RepórterMT, na semana passada.
Todos direito reservadoFERNANDA LEITE 
Fonte:ReporterMT,Cesar Fagundes


Isso sim é uma vergonha para os cidadãos Dom aquinenses, é como dizem mesmo a justiça tarda mais não falha, os 5 vereadores votaram contra o afastamento do prefeito mais agora sob pressão alguns tiraram a venda dos olhos e se arrependeram, e agora que a justiça seja feita, não querendo criticar o prefeito mais o certo seria ele ficar afastado até a finalização do processo, e sim depois de tudo resolvido ai sim se provado sua inocência e se aprovado pelos vereadores retomasse seu cargo, pois isso acaba se tornando uma pouca vergonha um prefeito com todos esses processos em andamento e ele lá sentado na cadeira comandando a cidade, estou aqui em nome do povo não estou aqui para condenar, estou aqui apenas em nome da população pedindo por uma coisa, só uma coisa, "JUSTIÇAAAA"

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Sejam Bem Vindos

    Ola bom dia a todos estou aqui para dar boas vindas para todos os que são e que vieram e ser leitores desse blog blog que estará encarregado de falar a verdade somente a verdade nada alem da verdade, estarei publicando as ultimas noticias da cidade de Dom Aquino, e dizendo a mais pura verdade as dádivas e vergonhas desta pequena cidade mais muito importante para as pessoas que aqui nasceram.